Podcasts do Caixa

Foto: Reprodução

O reggaeton tornou-se, inquestionavelmente, um dos gêneros musicais de maior alcance dos últimos anos. E entre as dezenas de cantores latinos que estão embarcando nessa onda de sucesso está a veterana Shakira. Se aproximando dos 30 anos de carreira, foi no ritmo caribenho que a colombiana encontrou uma forma de atualizar seu som e angariar novos e jovens seguidores. Seus fãs mais velhos, no entanto, sentem falta de uma Shakira mais "cheinha", de cabelos negros e um som mais pop-rock que a fez ser muito comparada com a canadense Alannis Morissette.

O terceiro disco da cantora, “Pies Descalzos” (1996), foi um sucesso absoluto na América Latina e as expectativas estavam altas para seu sucessor. Sabendo disso, Shakira trabalhou com diversos produtores e compositores por mais de nove meses, chegando a gravar até quatro demos diferentes para cada canção. No meio do projeto, em viagem à Bogotá, capital da Colômbia, a cantora teve sua mala furtada. Dentro dela, Shakira levava algumas composições e demos de músicas gravadas para o disco. A bagagem jamais foi recuperada e durante algumas semanas a cantora ficou remoendo perguntas sobre quem seriam e onde estariam esses “ladrões de bagagens”. Deste episódio surgiu o nome do álbum.

“Donde Estan Los Ladrones?”, lançado em setembro de 1998, é o quarto e último disco da cantora e trazer essa saudosa persona da “Alannis latina”. Mas há uma latente diferença entre ambas. Enquanto Alannis inunda suas composições com uma rebeldia e ironia fria, Shakira põe em sua obra uma dramática, brutal e avassaladora paixão latina.

“Ciega, Surdomuda” abre o disco com um instrumental mariachis que conferem à faixa um ar melodramático, o que de maneira nenhuma é algo ruim. Cantando sobre uma paixão avassaladora que a deixa completamente desajeitada e teimosa, Shakira mostra sua habilidade em misturar elementos latinos com o pop-rock global. “Si Te Vas”, faixa seguinte, segue o dramalhão, mas dessa vez pela ótica da abandono. Aqui a até então morena, acompanhada de guitarra e bateria deixa claro que a vida do seu parceiro não será nada feliz se ele a trocar por aquela bruxa e que não volte nunca mais.

Totalmente no estilo pop-rock, “Inevitable” surge como uma das faixas mais queridas da carreira de Shakira por seus fãs. A cantora se desnuda em confissões sobre si mesma para que o seu pretendente saiba o que vem por aí caso a aceite. No refrão a música explode numa forte e marcada melodia rock 'n' roll e se encerra num quase sussurro em que repete a frase inicial da música, deixando claro que sua apaixonada confissão está encerrada.

Em “Octavo Dia” a colombiana decide confrontar Deus, questionando sobre problemas pelo qual o mundo e por quê Ele abandonou a humanidade. A cantora aborda problemas modernos como o desemprego, a solidão, a perda da fé e o culto a celebridades. “Dónde Están Los Ladrones?”, música que dá nome ao disco, nasceu das indagações da cantora sobre o furto de sua bagagem em uma viagem. Contudo, a colombiana usou o episódio como metáfora sobre corrupção, um mal muito presente nos países latinos.

Outra faixa que se destaca no álbum por sua composição beirando a poesia é “Tú”. Cantando sobre um amor visceral, que se entrega plenamente. Que põe o outro como o sol, a sua fé, sua força vital. O álbum se encerra na contagiante “Ojos Así”, que traz fortes influências da música árabe. As demais faixas do álbum seguem falando sobre amores e desilusões.

A voz de Shakira também merece ser destacada. Quem estiver acostumado com os trabalhos em inglês da colombiana pode estranhar um pouco sua voz nesse disco, já que ela dispensa o uso de afinadores voz ou deixá-la em notas mais baixas.

Alguns anos depois essa Shakira mais “rockeira” e morena se tornou uma lembrança distante. A cantora fez sua bem sucedida estréia no cenário global, mas apostando num som mais pop e um visual que a assimilava a artistas pop americanas como Britney Spears, Christina Aguilera e Madonna. O atual reggaeton também caiu muito bem em Shakira. Combinou com seu rebolado inspirado na dança do ventre.

“Donde Estan Los Ladrones”, porém, segue sendo um de seus trabalhos mais singulares. Um disco que deve ser visitado por quem deseja conhecer de fato onde reside as inspirações e bases latinas da artista.
| Designed by Colorlib